Thursday, May 23, 2013

podem ir parando

recebi alguns comentários questionando meu posicionamento no post anterior, algumas muito absurdas, me chamando de racista, e que eu só fiquei ofendida com ele porque ele era negro. oi?

vou explicar assim bem facinho:

1. por que a ofensa dele contra mim ofende menos que uma ofensa contra ele, que eu nunca cometi? chamei ele de alguma coisa? nao. mas questiono, sim, a aceitabilidade da misoginia, porque sua raiz é a mesma do racismo: preconceito. ou seja, devia ser crime. mas misoginia é tolerada.

por que?

2. como ficou claro no título, o meu questionamento foi: por que se aceita que se ofenda uma mulher por associações ("mulher, logo puta") mas a mesma ferramenta, quando usada contra um homem, é crime? eu não vejo diferença. qual a diferença de chamar alguém de puta e alguém de preto? pra mim, é tudo racismo, é tudo errado. mas chamar de puta é tolerado.

por que?

3. se o cara fosse turco e eu tivesse chamado ele de terrorista; se fosse russo e eu tivesse chamado ele de comunista; se fosse alemão e eu tivesse o chamado de nazista; se fosse cadeirante e eu tivesse chamado ele de aleijado; se o cara fosse negro e eu tivesse chamado ele de preto: tudo isso teria consequências, mesmo sendo o fruto desses xingamentos o mesmo que ele usa pra me chamar de puta: preconceito e falta de respeito à pessoa. mas TODO MUNDO chama mulher de puta e passa despercebido.

por que?

ficou claro?

obrigada.

14 comments:

Flávia A. said...

Mais claro que isso, só se você desenhar!

(medo do analfabetismo funcional de algumas pessoas! =/)

Carol said...

tem gente que não adianta nem desenhar, pq só entende o que quer entender.
eu desisto, viu? esse mundo tá tosco demais...

Dani said...

Não, Ivi, em momento algum eu falei que você é racista eu falei do racismo enraizado na nossa sociedade, e isso não se limita somente a você, inclui a todos nós. Não achar que somos racistas é a mesma coisa de não nos considerarmos capitalistas, mesmo nos opondo teoricamente ao capitalismo. Para ser razoável é até “ingênuo” pensar desse jeito. E o seu texto tem aspectos sim que soam racistas. Será que realmente o uso de termos como “cara estranho” e “a aparência dele” não possui nenhuma relação com a cor da pele dele? Não seja hipócrita. O curioso é ainda você pensar que não cometeu nenhuma ofensa contra ele.

E obviamente que eu enxergo a misoginia como crime de ódio assim como o racismo. Pra mim também é tudo errado. Mas não acho útil militar pelos direitos da mulher na sociedade questionando o direito conquistado por outros grupos marginalizados, como os negros. Todo preconceito não deve ser tolerado. Aliás, detesto tolerância, não acho que precisamos de tolerância essa palavra produz um lugar de reconhecimento que cria o gueto, o Outro. E não queremos ser o Outro, o diferente, queremos ser o “nós”, lindos e maravilhosos, sem fronteiras. E seu texto, minha cara, trata de fronteiras ou eu preciso colocá-lo aqui para não receber novamente o epíteto de “analfabeta funcional”? O fato do seu agressor não ter sido punido por tê-la agredido é injusto. O fato dele, como negro, poder punir um suposto agressor é justo. Isso também vale para o turco, o russo, o alemão, o cadeirante.

ficou claro? rsrsrs

beijos

Dani said...

E Flávia, na verdade eu tenho medo da falta de autocrítica de algumas pessoas e da incapacidade de ler nas entrelinhas.

beijo pra tu tb.

vodca barata said...

dani, gata, seguinte: não sou eu que não sei ler nas entrelinhas, você é que está enfiando significados nas minhas linhas, ok?

não é pra você estranho o suficiente que alguém cole a cara no vidro da sua janela pra olhar dentro? quer dizer, não posso chamar um cara que faz isso de estranho? POR QUE??

é por causa de gente como você, que gira a tortilha em nome de convenções patriarcais que nem se discutem mais, de tão arraigadas, que preconceito de gênero AINDA existe. é como não ver o estuprador como agressor, porque há uma vítima responsável por seu estupro.

onde você parou de ler que eu sou a vítima da situação, e ele o agressor?

aí você diz que eu não tenho auto-crítica. e você, tem memória? em março deste ano você deixou um comentário mega ofensivo pra mim e pras minhas leitoras, dizendo que minhas opiniões eram truculentas e que não precisava mais voltar aqui E mandou tomar no cu eu e minhas leitoras. eu nunca mandei você tomar no cu, mas a truculenta sou eu, na sua opinião. cadê sua auto-crítica????

você não precisa voltar aqui mesmo.

eu e minhas leitoras truculentas e sem auto-crítica agradecem.

Ingrid Gomes said...

AAAAAAAPOSTO que se ao invés de dizer que o cretino era negro, vc tivesse dito que era um "branxo azedo", a moça não teria se doído!

E antes que ela volte pra me chamar de racista, digo logo que sou neta de um negro, pretinho pretinho, então eu POSSO, não é essa a regra?

Eu ainda não entendi qual o barato dessas pessoas comentarem em blogs que elas consideram uma bosta?

Eu como leitora truculenta e sem auto-critica, agradeço de coração se a moçoila super delicada e cheia de auto-critica nunca mais voltar. =)

Beijocas

Unknown said...

ivi, tu é linda. beijo

Paulo F. said...

Claro que seu texto, Ivi, não é intencionalmente racista. E todos nós aqui concordamos que o machismo é obviamente tão criminoso quanto o racismo.

Mas eu também achei absolutamente descartável você questionar o fato de haver leis que protejam o seu agressor enquanto negro e que não existam leis que te protejam como mulher. Achei essa passagem confusa. Porque parece que o texto trata de uma briga para ver quem é mais oprimido. E não é objetando o direito dele que você vai conquistar o seu. É tipo, eu que sou gay, sou vítima de uma agressão na rua, e daí saiu contestando a lei Maria da Penha por não existir a lei que criminaliza a homofobia. Qual o sentido nisso?

Essas identidades de resistência nunca devem ser legitimadoras. Nosso inimigo é outro. É o preconceito arraigado na sociedade que você disse que não precisa ser mais discutido e que eu discordo.

Por isso achei pertinente a reflexão que a Dani trouxe, porque é preciso estar atento e forte, porque se a gente não tentar discutir profundamente o assunto como ele merece ser tratado acabamos caindo numa militância midiática e superficial, tipo o Femen.

beijos, morena

Mary Janne said...

vc viu isso? perdendo a fé na humanidade...
http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,psicologa-e-estuprada-na-marginal-do-tiete-ao-parar-carro-quebrado,1034846,0.htm

Paulo F. said...

e corrigindo... SaiO

aloka! rs

beijos

Antônio LaCarne said...

incrível como as pessoas sem noção mantém esse vício de criticar as coisas sem que ao menos parem, leiam e reflitam. babacas ad infinitum.

Maria Valentina Schenker said...

Ivi, menina, não liga para esse povinho esquerdista afetado que adora polemizar tudo. Quando vê isso esses são daqueles que andam dia e noite com a estrelinha do PT pregada na lapela.

Que coisa mais descabida achar você racista! Logo você que acumula várias minorias... é mulher, brasileira, nordestina, negra...

Bando de revolucionariozinhos estúpidos e problemáticos!

Relaxa, tu é linda!

bjs dessa catarinense que te ama muuuito

:*

Lis said...

É o mesmo com "veado". Por que pode?

nanaportobelo said...

Ivi, como leitora do blog há algum tempo jamais acharia que você é racista. eu super entendi o seu argumento da sociedade ainda naturalizar o machismo e concordo com você,mas nesse caso o texto ficou meio estranho. Vou dar um exemplo: se eu não fosse sua leitora há tempos, e esse fosse o primeiro texto que li seu, eu ficaria no mínimo com pé atrás. Sério!E não se trata de ler nas entrelinhas ou analfabetismo funcional, como amigue disse em cima, mas de um texto que abre margem para interpretações diversas.A intenção foi boa,mas o argumento foi ruim. Tal qual o machismo, o racismo é sim um elemento estruturante da nossa sociedade e gente entra em um terreno para lá de arenoso quando se propõem a compará-los.E nesse caso o problema não é apenas de quem lê,mas de quem escreve também.Acontece...E na verdade achei válida a colocação da menina,mesmo que não compartilhe da mesma opinião..Mas mudando um pouco de assunto, espero que você fique bem e que o babaca não volte mais.Se cuide!