Thursday, July 24, 2014

geografia 3 - acho que achei uma epígrafe pro meu TCC

(vale ressaltar que toda vez que tenho que usar a palavra epígrafe, nunca lembro que epígrafe se chama epígrafe e tenho que googlar seeeempre a mesma frase "citação usada para abrir um livro". anta).


aí vai:

Tais figuras, no entanto,  com frequência apenas exibem conceitos, são mediações simbólicas, meios hieroglíficos de comunicação, que pouco a pouco ocupam o lugar dos fenômenos e da natureza e, em vez de proporcionar um conhecimento verdadeiro, criam obstáculos para ele. Mas as ilustrações tampouco podem ser dispensadas; procuramos, no entanto, organizá-las de forma que possam ser seguramente empregadas para uso didático e polêmico, e também como parte do aparato necessário".


trecho do prefácio de "doutrina das cores", de goethe, 1810.



geografia 3 - negativos que achei na rua em recife
geografia 3 - o primeiro dummy (scan da capa e 4 páginas do primeiro capítulo)
geografia 3 - o primeiro dummy
geografia 3 - carta para joel e elizabeth bishop
geografia 3 - com joel datz
geografia 3 - lepsius e outros viajantes
geografia 3 - (meu TCC)

Monday, July 21, 2014

anistia já

Advogada e ativista de Direitos Humanos, Eloísa Samy, encontra-se neste momento no Consulado Geral do Uruguai no Rio de Janeiro onde solicita asilo político para defender-se em liberdade das acusações que lhe são feitas pelo Ministério Público. Estamos nas imediações, onde dez motos da Polícia Militar e algumas viaturas já cercam a área. Solicitamos o suporte dos ativistas e defensores dos direitos humanos e organizações do movimento social para garantir a legalidade atropelada num processo politicamente orquestrado contra o ativismo no Rio.


(via resiste estelita)




 



Friday, July 18, 2014

resenha de "polaróides" em jornal de minas

a elemara duarte, do jornal hoje em dia, de belo horizonte, escreveu uma mini-resenha sobre polaróides - e negativos das mesmas imagens. quando li a manchete tomei um susto, achei que o livro e blog chatos a quem ela se refere no título do artigo fossem os meus, mas são de outros autores. para polaróides ela reserva a descrição de "pérola germano-brasileira" e eu achei digno.

a matéria saiu dia 25 de maio. na época não quis publicar nada falando a respeito porque apenas 4 dias antes tinha explodido a bomba no cais josé estelita e início das demolições e consequente ocupação, e minha digital tava toda voltada pra isso.  #ocupeestelita  #resisteestelita

mas agora aí vai:


como não achei a versão online da matéria, aqui vai um zoom para quem quiser lê-la:







rioja 2007

o negócio é que perdi a graça o rebolado o humor não tenho saco acho uó quando me lembro que sou uma mulher além de um relacionamento me espanto me lembro meu deus que riqueza quero ir pra sarajevo doar sangue morar no sertão depois a vida chama volto pro namorinho pro apartamentinho a contar meu dinheirinho a fazer concessõezinhas pagando esse precinho que se paga pois ninguém muito menos eu quem diria tem cojones para ficar sozinho.





álcool

álcool
birita
cana
cachaça

drink
drinque
coquetel
cocktail
coqueté




Thursday, July 17, 2014

la polla

com nenhuma vergonha sempre sentei na grama
com ricardo
dando nota aos boys que passam
nunca nos preocupamos com a filologia
dos que ficam
atrás e escutam nunca pensei que
talvez alguém entenda
ontem na grama eu
me fiz de alemã como se nada
entendesse eu que estava atrás
enquanto
dois espanhóis
conversavam
ela contava ao amigo
da trepada da noite anterior
ela dizia como o boy
agarrou ela quando ela saía do banheiro
da festinha
e como a polla dele era
enorme
eu segui fingindo que estava
concentradíssima no meu livro
poderia ganhar o oscar
porra de livro
eu queria era ouvir
todos os detalhes sobre a fisiologia
do pau do boy que a espanhola chupou no dia
anterior e contava ao amigo achando que ninguém entendia
eu ia entendendo tudo
depois me perguntei quantas vezes
fui pega no flagrante
fazendo descrições a ricardo na grama
sobre a polla dos outros
sem saber haver atrás de nós
testemunhas.



Tuesday, July 15, 2014

ute e werner

minha professora fotografa e seu marido é o assistente.



ps: isso é um job de publicidade, que pra eles pode ser feito assim, em vez de toda aquela parafernália, 30 pessoas num estúdio 300 flashes...

Monday, July 14, 2014

tive uma ideia muito genial

decidi abrir meu facebook, porque eu nunca posto nada pessoal mesmo e é lá que faço meu ativismo de sofá de todos os dias. o face é bom porque é rápido, as postagens pode ser mais curtas e dá pra discutir os temas em tempo real.

o bom é que isso deixa o vodca com um pouco mais de fôlego para voltar a falar das coisas que ando escrevendo ou fotografando.

ou seja, aqui vocês vão começar a ver menos posts engajados, que vão tá no feice. o vodca volta a ser meu bloco de notas.  beijos.






Tuesday, July 08, 2014

look do dia todos os dias




entrevista com toni morrison


"o termo politicamente correto se tornou um atalho para impor descrédito a ideias. Eu acredito que uma linguagem forte, focada, incisiva, crítica, sanguínea, dramática ou teatral não depende do uso de palavras injuriosas, em ofensas. Nem depende de hierarquia. Você não está empobrecendo a linguagem quando exige das pessoas que elas tenham empatia pela dor dos outros. Eu não posso seguir por aí dizendo ‘mate os branquelos’. O que isso significa? A frase pode até satisfazer a alguém ou alguma coisa, mas ela não informa. Não há pensamento. Eu acho que temos que usar linguagem melhor que essa. O que o debate em torno da correção política realmente é, é sobre o poder de definir o outro. Os definidores querem ter o poder de definição. E os definidos não querem mais ser nomeados pelos definidores".



Sunday, July 06, 2014

dois poemas novos, quer dizer escritos em março, isso é novo?

semana passada li meus poemas pela primeira vez. foi num evento de escritores latino-americanos num café nessa cidade. nunca tinha oralizado nada que tivesse escrito e foi bom para entender os poemas e pra paquerar. li junto com minha amiga e musa inspiradora érica zíngano.

os poemas fazem parte do que parece ser um novo livro. não sei.



24.3.14

Leontine me contou da guerra
e que aos 11 ela se escondia dos marroquinos 
no porão eles 
estupraram todo mundo todas nós
(os marroquinos eram parte da tropa francesa
eu não 

sabia)

os franceses chegaram
depois e até

montaram tendas
para realização de abortos
uma gentileza dos franceses para com
as alemães que
eles e os marroquinos haviam estuprado

melhor seria em vez
de 
aborto
matar 
todas elas ninguém quer um 
estupro e um
aborto
no álbum de família
veja bem

eu sei eu sei

Leontine também me contou

que nunca vai
esquecer o gosto

de banana que
comeu pela primeira
vez aos 11 anos

ganhou a banana de um oficial

francês.

os franceses chegaram ofereceram

bananas e abortos.




não vou publicar o outro mais, mudei de ideia.

look do dia





Wednesday, July 02, 2014

geografia 3 - negativos que achei na rua em recife


essas fotos nao vao entrar na edicao final do meu TCC, mas elas fazem parte muito maravilhosa do processo de trabalho.

um dia em fevereiro, já no fim da minha estadia em recife, estava passeando com minha mae, falando sobre o TCC, quando encontrei um pedacinho todo lascado de negativo (apenas quatro imagens), na rua deputado pedro pires ferreira (transversal da rua do futuro, ali na jaqueira).

era de noite e erguendo o negativo contra a luz de um poste, a gente tentou olhar o que tinha nessas imagens. mas ele tava muito mofado e arranhado, de modo que só fui ver esses dias, quando scaneei os negativos, o que tinha neles:









impressionante como o acaso faz a gente às vezes voltar pro presente. em recife, olhando esse negativo contra a luz da luminária, do sol, do poste, em todo canto eu olhava pra esse negativo como se dele dependesse o resto da minha vida; olhando presse negativo eu entendi que era uma foto de uma cidade vista de cima, e me perguntei várias vezes, por causa desse rio, se essa imagem (a do meio) poderia ser recife. decretei que sim, menos por acreditar no que meus olhos estavam vendo, do que por saber que olhar pra uma cidade com encatamento é olhar para todas, é olhar para a minha.

ficar olhando para esse negativo, imaginando que podia ser recife ou paris ou timbuktu, me fez quase perdoar recife por ter tantas vezes partido meu coracao, e pedir perdao por ter passado tantos anos sem olhá-la. esse negativo de uma cidade que eu sequer sabia qual era me fez acreditar de novo que recife existe, que nao existe, que é ficcao, que nao é. enfim, que é toda minha.




 fiquei encantada com esse tesouro mas estou pronta para devolvê-lo à dona. se alguém por um acaso conhecer essa mulher, diga a ela que envio esse negativo de volta, se ela quiser, assim que ela quiser.

para ler mais sobre meu TCC
geografia 3 - o primeiro dummy (scan da capa e 4 páginas do primeiro capítulo)
geografia 3 - o primeiro dummy
geografia 3 - carta para joel e elizabeth bishop
geografia 3 - com joel datz
geografia 3 - lepsius e outros viajantes
geografia 3 - (meu TCC)