Thursday, April 24, 2014

a vida é urgente mas

parei de falar de mim neste vodca porque parece que a vida pede silêncio, cuidado, paciência. penso eu que deixei o blog de lado para deixar a vida no centro. pode ser que seja cuidado. pode ser que eu tenha aprendido a calar.

pode ser também que foi porque a vida deixou de ser espetacular, entrou numa fase de descobertas mínimas, universais e cínicas demais para serem motivo de escrita. essas descobertas me enchem de desgosto, são enormes no seu tédio, me esmagam. 

mas conhecê-las me liberta, é sempre bom saber algo que antes não se sabia. e eu fico olhando para essas novas vivências entediantes como se olha um animal longamente. como se olha um objeto muito pequeno perto da luminária e com os óculos na testa. cheia de espanto, cheia de desencanto.

detesto tudo num relacionamento estável, tudo, mas ainda não quero abrir mão de alguém finalmente me amando. 








Wednesday, April 23, 2014

work in progress retardado

isso é o que acontece quando eu entrevisto jéssica para um texto muito sério e sabido sobre o trabalho dela:


eu ops bionça, by jéssica mangaba



save the date: eu e jéssica, num texto sobre arte e namoros longos, na revista cesárea de maio! 

Tuesday, April 22, 2014

hahahahaha


quando ela mandava your body move to the music todo mundo obedecia agora que a bichinha manda ler livros fazem cachota. seus uó. obedeçam mãedonna. 



compre aqui sua cópia de polaróides - e negativos das mesmas imagens, por amigos sete reais no site da editora cesárea (não fucking precisa ter tablet, o livro abre em qualquer computador!).

Thursday, April 17, 2014

uma outra exposição

em homenagem a garcía marquez, que não morreu.

minhas curadoria, menos fotográfica e mais histérica, de "o amor nos tempos do cólera":


60. um realismo patético
119. - entrego-te as chaves da tua própria vida - disse-lhe.
128. a memória do coração elimina as más  recordações e exalta as boas e que, graças a esse artifício, conseguimos suportar o passado.
130. feitiços do hábito
159. foi um retrato eterno.
246. que vá pra merda o leque, que o tempo é de brisa
249. o problema da vida pública é aprender a dominar o terror. o problema da vida conjugal é aprender a dominar o tédio.
249 (mais adiante). as cidades que não lhe pareciam nem melhores nem piores, mas como ela as fez no seu coração.
262. nada nesste mundo era mais difícil do que o amor.
264. tinham lidado juntos com as incompreensões cotidianas, os ódios momentâneos, as maldadezinhas recíprocas e os fabulsos fulgores da cumplicidade conjugal.
409. e até quando o senhor pensa que podemos continuar com este ir e vir do caralho?

Wednesday, April 16, 2014

work in progress

tentando escrever um texto sério sobre minha amiga jéssica mangaba, cheguei à seguinte conclusão:


put your freek 'em dress on!




Sunday, April 13, 2014

on the radio

(ai, eu sempre quis escrever um poema com esse título hahaha)

hoje vai pro ar às 14h (horário de hellcife) a entrevista que thiago corrêa e eduardo maia, do programa café colombo, na rádio universitária FM (99,9), fizeram comigo e schneider carpeggiani sobre o lançamento da editora cesárea e de polaróides - e negativos das mesmas imagens.





a entrevista foi feita por skype na última terça-feira e foi muito legal e quando acabou eu até fiquei triste, porque nem minha mãe nem meu namorado dão bola pro que eu faço então é massa ter alguém prestando atenção em mim HAHAHAH

sintonizem lá!