Monday, February 29, 2016

macondo #4*










"choveu durante quatro anos, onze meses e dois dias"









(*fim da saga)




Saturday, February 27, 2016

"para fazer o meu projeto de realidade"



durante a feitura de o martelo, celan estava comigo o tempo todo. se o livro já é histérico, sem celan seria um alto-falante desregulado. foi fundamental a companhia dele e os toques que ele foi me dando, pra baixar o volume, aumentar o volume, encontrar a elegância da palavra certa ou aceitar o fato de que às vezes não há palavra alguma e mesmo assim dar um jeito.

a forma como celan aborda e trabalha o trauma (no seu caso, o holocausto) me é muito cara, pois ele se debruça sobre a consciência de não haver linguagem apropriada para articulá-lo e trabalha com essas fendas, encarando e "ferramentizando" exatamente essa impossibilidade de dizer. ele sabe que é a expressão da dor exatamente a primeira a ser golpeada, e não exatamente aquilo que dói.

o discurso de agradecimento que ele fez em 1958 quando ganhou o prêmio literário de bremen é uma das coisas mais fundamentais da minha vida trabalhal e hoje, relendo-o para escrever um texto pra uma coletânea da cepe, acabei ficando com vontade de transcrever o trecho final aqui:


(...)
No meio de tantas perdas, uma coisa permaneceu acessível, próxima e salva - a língua.

Sim, apesar de tudo, ela, a língua, permaneceu a salvo. Mas depois teve de atravessar o seu próprio vazio de respostas, terrível emudecimento, as mil trevas de um discurso letal. Ela fez a travessia e não gastou uma palavra com o que aconteceu, mas atravessou esses acontecimentos. Fez a travessia e pôde reemergir "enriquecida" com tudo isso. Nesses anos e nos seguintes tentei escrever poemas nesta língua: para falar, para me orientar, para saber onde me encontrava e onde isso me iria levar, para fazer o meu projeto de realidade.

Foi, como podem ver, acontecimento, movimento, estar sempre a caminho,  foi a tentativa de encontrar um rumo. E se pergunto qual é seu sentido, então penso que terei de dizer a mim próprio que nesta pergunta também fala a pergunta sobre o sentido dos ponteiros do relógio.

Porque o poema não é intemporal. É certo que proclama uma pretensão de infinito, procurar atuar através dos tempos - através deles, mas não para além deles.

O poema, sendo como é uma forma de manifestação da linguagem e, por conseguinte, na sua essência dialógico, pode ser uma mensagem na garrafa, lançada ao mar na convicção - decerto nem sempre muito esperançada - de um dia ir dar a alguma praia, talvez uma praia do coração. Também neste sentido os poemas estão a caminho - têm um rumo. 


Para onde? Em direção a algo de aberto, de ocupável, talvez a um tu apostrofável, a uma realidade apostrofável. Penso que, para o poema, o que conta são essas realidades. E acredito ainda que raciocínios como este acompanham, não só os meus próprios esforços, mas também os de outros poetas da geração mais nova. São os esforços de quem, sobrevoando por estrelas que são obra humana, de quem, sem tecto, também neste sentido até agora nem sonhado e por isso desprotegido da forma mais inquietante, vai ao encontro da língua com sua existência, ferido de realidade e em busca de realidade.



Friday, February 26, 2016

o martelo em inglês, o martelo chegando, o martelo indo, riva e outros dois poemas na garibaldi




coletânea da editora gully havoc organizada
por ricardo domeneck tem o maravilhoso black cracker,
william zeytounlian e érica zíngano, entre outrxs maravilhosxs


e um dos poemas d'o martelo
traduzido por mim e manuel wetscher


falando em wetscher, ele acabou de lançar um livro de fotografia
junto com matthias steinkraus chamado:






cópias do martelo a caminho de seus novos donos
no brasil, na alemanha e na espanha



e gilberto garcia com seu martelo em são paulo
eike maravilha





a sexta edição da revista garibaldi saiu, com uma gangue pra deixar a de taylor swift tendo pesadelos: Denise Martins Freitas, Carolina Barreto, Marília Garcia, Ana Guadalupe, Anna Mancini, Laura Assis, Marcela Batista, Júlia Hansen, Carla Diacov, Juliana Gervason, Nina Rizzi, Alice Sant'Anna e esta que pra vosotras escreve. uma maravilha. brigada a anelise freitas pelo convite, muito foda estar na companhia dessas muié maravilhosa.

ps: o martelo está à venda em lisboa nas livrarias pó dos livrosletra livre e sr. teste; parece que vai vender na fnac (já está listado no site mas ainda aparece como indisponível). para quem estiver no brasil e quiser comprar, dá pra encomendar por pay-pal. é só mandar email pra editora (miasoave@sapo.pt) ou adicionar o editor no facebook: nuno moura.



carl hart sobre crack

"não tenho tempo a perder com gente que não está interessada em mudar o mundo".

é com essa fala maravilhosa que termina a reportagem do estúdio fluxo sobre a carl hart (neurocientista estadounidense) e sua passagem pelo rio de janeiro. aprendi pra caramba em apenas 20 minutos, acho que as senhoras vão gostar:



Wednesday, February 24, 2016

o martelinho querido por aí #publi HAHAHA

a amiga cris em são paulo

a amigamada clarissa em lishboa





ps: o martelo está à venda em lisboa nas livrarias pó dos livrosletra livre e sr. teste; parece que vai vender na fnac (já está listado no site mas ainda aparece como indisponível). para quem estiver no brasil e quiser comprar, dá pra encomendar por pay-pal. é só mandar email pra editora (miasoave@sapo.pt) ou adicionar o editor no facebook: nuno moura.

Monday, February 22, 2016

"contém livros"





meus livros chegaram, ai gente


silvia contando todas as letras que eu comi livro afora











ps: o martelo está à venda em lisboa nas livrarias pó dos livrosletra livre e sr. teste; parece que vai vender na fnac (já está listado no site mas ainda aparece como indisponível). para quem estiver no brasil e quiser comprar, dá pra encomendar por pay-pal. é só mandar email pra editora (miasoave@sapo.pt) ou adicionar o editor no facebook: nuno moura.

Friday, February 19, 2016

Monday, February 15, 2016

lançamento de martelo e entrevista no suplemento

quem foi disse que foi lindo e eu acredito, porque afinal foi matilde lendo:


vídeo feito por santa catarina com a participação especial da pequena amora



schneider fez uma entrevista sobre o livro, para o suplemento, com uma foto minha de shortinho, aê!

foto de jakob




foto de catarina



foto de pedro loureiro


o martelo está à venda em lisboa nas livrarias pó dos livros, letra livre e sr. teste; e a partir de semana que vem na fnac (já está listado no site mas por enquanto ainda aparece como indisponível). para quem estiver no brasil e quiser comprar, dá pra encomendar por pay-pal. é só mandar email pra editora (miasoave@sapo.pt) ou adicionar o editor no facebook: nuno moura.


lançamento de martelo escocês


que aligria!

Saturday, February 13, 2016

o preço do perdão - documentário e petição online

TRAILER - A Girl in the River: The Price of Forgiveness from Sharmeen Obaid Films on Vimeo.


"a girl on the river" é candidato ao oscar de melhor documentário em curta-metragem. o filme conta a história de saba qaiser, uma garota paquistanesa cujo pai e tio tentaram matá-la por ela ter "desonrado" a família (ela fugiu com o garoto por quem era apaixonada). mas saba sobreviveu contou sua história para sharmeen obaid chinoy, diretora do curta.


a diretora, além de colher os frutos do seu incrível trabalho como documentarista (ela já concorreu ao oscar antes, com um filme sobre vítimas de ataque de ácido, em 2011), segue lutando "na vida real" pelo fim desses costumes, mais fortes do que as próprias leis no paquistão. nesse link da new yorker tem uma análise muito boa do filme e das implicações da luta de sharmeen (infelizmente apenas em inglês).


aqui existe uma petição online pela penalização dos crimes de honra. além disso, você pode apoiar a causa seguindo o filme no facebook e compartilhando essa história.



The Anti Honor Killing Campaign by Sharmeen Obaid Chinoy
In Pakistan, people are killed everyday in the name of 'honor'. Join Sharmeen Obaid in the Anti Honor Killing Campaign - a petition launched in an effort to motivate law makers in parliament to pass the Anti Honor Killings Law (Criminal Laws Amendment) Bill so that the victims of these crimes receive the justice that they deserve. #PriceOfForgiveness
Posted by The Price of Forgiveness on Monday, 18 January 2016

Thursday, February 11, 2016

é hoje, em lisboa



queridas leitorinhas em lisboa: hoje às 19h30 é o lançamento do meu livro novo, "o martelo", que vai ser lançado pela editora douda correria e será apresentado e lido por nuno moura e a deusa matilde campilho.



eu não vou poder ir mas convido todas vocês pra irem e me contarem as fofocas depois hahahaha

a capa tá no post daqui de baixo. ela foi feita pela ilustradora colombiana xuehka, que fez um trabalho maravilhoso.

o livro será vendido via pay-pal e para encomendar é só escrever pro nuno no email miasoave@sapo.pt. ainda não sei sobre livrarias, se vai rolar, mas se rolar eu aviso aqui!





Tuesday, February 09, 2016