Friday, May 30, 2014

liminar de reintegração de posse concedida: como você pode ajudar #ocupeestelita #resisteestelita

queridas e idos,

se tem um dia pra ocupar estelita, esse dia é hoje. saiu o mandado de reintegração de posse e pode ser que a polícia bata ainda hoje lá, para retirar os ativistas do local. conhecemos a truculência da polícia contra ativistas, independentemente de o protestos ser pacífico (como é o caso).

peço a vocês várias coisas:

1. se você tem amigos e/ou familiares advogados ou formados em direito, peça para eles irem ao cais estelita hoje, prestar assistência aos ocupantes.

2. vamos tuitar #resisteestelita e #ocupeestelita, eles precisam chegar a trending topic. a reintegração de posse é ilegal, o prefeito de recife ignorou a ocupação como se nada estivesse acontecendo, os jornais se calaram. estamos sendo violados. tuitem e corram pra lá!

3. se você não está em recife ou não pode ir (muito embora devia), acompanhe a transmissão ao vivo do que tá rolando na ocupação. quanto mais testemunhas oculares, melhor! cuidemos uns dos outros e umas das outras.

4. tire seu selfie com a hashtag #ocupeestelita e publique nas ruas redes. jean wyllys, ney matogrosso, matheus nachtergaelle, leandra leal e vários outros artistas formadores de opinião já manifestaram publicamente seu apoio ao movimento através de auto-retratos com a hashtag.





a gente não está sozinho nessa luta que não é somente pelo estelita, é pela cidade e pelas pessoas. o deputado fernando ferro já se declarou abertamente a favor do movimento e da revisão do projeto velho novo recife. a ex-prefeita de olinda e deputada federal luciana santos está agorinha na ocupação.

#ocupeestelita ame recife!


Sunday, May 25, 2014

#ocupeestelita

copio aqui a nota que o DIREITOS URBANOS publicou em seu facebook hoje:

NOTA PÚBLICA
Na noite de 21 de maio, o Consórcio Novo Recife, composto, entre outros, pela Moura Dubeux e pela Queiroz Galvão, iniciou a demolição dos galpões do Cais José Estelita para início da construção do Projeto Novo Recife. Esse projeto é objeto de CINCO ações judiciais na Justiça Estadual e Federal. Ao contrário do que afirmam a Ademi e a Fiepe em nota de apoio ao Consórcio, não houve nenhum debate com a sociedade acerca do projeto e não consta nos autos do processo administrativo municipal nenhuma audiência pública, exigida pela lei.

Dentre as ilegalidades do projeto, estão a nulidade do leilão, a ausência de Plano Urbanístico exigido pela lei, a ausência de Estudo de Impacto Ambiental e de Estudo de Impacto de Vizinhança, ausência das licenças do DNIT, IPHAN e ANTT, para citar apenas algumas. Prova das irregularidades do projeto é que a obra tenha sido embargada pelo IPHAN e suspensa, por ordem da Justiça Federal.

Diante da patente ilegalidade, ativistas em defesa do Cais e da Cidade ocuparam a área, impedindo que a demolição se concretizasse e resguardando o objeto das ações judiciais em curso. Agiram para salvaguardar a lei e a ordem. Um dos ativistas sofreu agressões e ameaças de morte por parte dos seguranças do grupo Novo Recife.

Nossa Carta ao Prefeito Geraldo Julio, em defesa do Cais José Estelita, assinada por nove mil cidadãos, não foi recebida pelo prefeito, que recebeu da Moura Dubeux mais de meio milhão de reais de apoio para sua campanha eleitoral.  (os grifos são meus)

A desocupação do imóvel está sendo negociada entre os ativistas, o consórcio Novo Recife, a Prefeitura, intermediada a negociação pelo Ministério Público de Pernambuco e Ministério Público Feferal. A ocupação é legítima. O pleito dos manifestantes é que seja cumprida a lei, anulando-se os atos administrativos ilegais e realizando-se as audiências públicas necessárias, para discussão do plano urbanístico da área com a sociedade civil.

Pois a lei não pode ser imposta apenas aos pobres e aos que não têm poder. A lei é para todos. A lei deve ser cumprida também pelos ricos empresários e pelos governantes. Nossa causa não é apenas pelos galpões. É por justiça e democracia. É por uma cidade para as pessoas.

Recife, 25 de maio de 2014. Direitos Urbanos | Recife



hoje tem vários eventos rolando na ocupação - show, brechó e sei lá mais o quê. na página RESISTE ESTELITA há informações sobre isso e eventuais listas com itens de necessidade dos ocupantes. hoje é domingo, não há motivo para não ir - a não ser claro que você more em outro canto.

a manifestação presencial é tão importante quanto o ativismo online (praqueles que acham que "protesto de sofá" não adianta: informem-se).

Thursday, May 22, 2014

ocupe estelita, salve recife!


ontem, a moura dubeux iniciou a demolição dos armazéns no cais josé estelita. começou a demolição de madrugada, claro, que é a hora que essas coisas são feitas - e SEM ALVARÁ.

não bastasse estuprar a cidade há anos, a moura dubeux viola também o direito à dignidade e à integridade física dos cidadãos (diga-se de passagem, dos cidadãos não-clientes, claro).

aqui vai o depoimento de sérgio art, que foi lá ontem protestar contra o assassinato de recife e foi espancado e ameaçado de morte, por seguranças particulares da construtora:

Pessoal,
Gostaria de registrar aqui minha indignação da forma como fui agredido, espancado, ameaçado, roubado e desprotegido na minha querida cidade que tanto amo, Recife.
Na noite de ontem, quando cheguei ao local da demolição dos armazéns de açúcar do Estelita, adentrei pois o portão estava aberto e como ativista não amoleci nem pensei duas vezes em ir lá fazer o registro das fotos e cobrar o alvará de demolição. Eles não apresentaram em momento algum da minha permanência lá. 
Um dos capangas da Moura Doubex me pediu para sair que lá fora apresentaria o alvará, resisti um pouco, mas como bom cidadão resolvi confiar nele. Chegando na linha do lado de fora da obra apareceram do nada duas motos com mais quatro capangas armados, uns com arma em punho. Tropecei no pneu da moto e começaram a me agredir com socos, pontapés, coronhadas, agressão verbal, ameaça de morte por uns 10 minutos. Até que já tinha perdido quase os sentidos eles pararam de bater e começaram a pressão psicológica de ameaças de morte e mais agressões. Arrancaram meu celular da minha mão e sumiram com ele. Após me recuperar e respirar, consegui falar as primeiras palavras: não façam mais isso com alguém que não está reagindo, párem! Até que pararam. Porém quando cobrei meu celular e carteira que haviam sumido eles me agrediram novamente me questionando se eu estava chamando eles de "ladrão". Fui humilde e pedi apenas o meu celular que por acaso me devolvessem e também minha carteira... depois de mais 10 min aparecem com meu celular todo quebrado e minha carteira, sem contar que apagaram todas as fotos e videos que fiz lá no local, tanto da demolição como de alguns dos agressores. Além de toda agressão física, eles me impediram de ir embora me ameaçando que tinha que esperar que vinha um carro pra me buscar. Fiquei Aguardando a pressão acalmar e não mais emiti nenhuma palavra para não alimentar mais a ira desses agressores.
Além dos capangas que estavam a paisana, tinham 03 seguranças da empresa Klaus Costa que acobertou toda agressão contra minha pessoa. Todos estavam armados de pistola e revólver em punho para me intimidar e ameaçar. Por fim, as motos se evadiram com as placas dobradas para nao identificar sua numeração. E um dos agressores me disse: é melhor tu ir embora. 
Fui embora... mas voltei, com a polícia e os amigos que apareceram através das mobilizações aqui no Direitos Urbanos, a Impressa, PM, GATI.
O que me chocou foi ver um PM fardado de nome Marcos, chamando reservadamente outros policiais na surdina para longe do local. E a partir desse momento ele, o Marcos, falou que não podia fazer nada porque o terreno é particular e não cabia a ele pedir que a Construtora abrisse os portões para apresentar o alvará e os supostos agressores. O PM, foi o único que ficou acobertando os criminosos da MD e seus capangas. O GATI, desempenhou o papel de protetor da sociedade e nao permitiu que esse PM bloqueasse mais as evidências tanto dos agressores como da construtora que não apresentava o alvará. Pois o que eles apresentaram era uma cópia colorida muito suspeita.
Em resumo: Estou cheio de hematomas no corpo, não consigo comer nem abrir a boca direito, pernas doidas, cabeça e rosto machucados e arte interna da boca cortadas por consequência dos repetidos socos.
Agradeço primeiro a Deus que deu força para permanecer em pé e firme o tempo todo, a fé que tenho em Santo Inácio de Loyola e a todos os integrantes do Direitos Urbanos, todos que estiveram presentes e mandaram votos de resistência. Em especial a querida e ativa advogada Liana Cirne Lins, vereador Raul Jungmann e Luci, pela presença e apoio total. Em especial ao justo delegado João Batista Alves Filho.
Não me calarei, nem desistirei um ponto sequer dos nossos ideais que é uma cidade justa e humana para todos. 
Sem violência! Mais cidadania!!! É tudo o que queremos!
Abraço a todos e vamos resistir!

aqui, fotos do cais josé estelita:



como era

como está desde esta madrugada

como está desde a madrugada
(foto de nat paes)

e como vai ficar (parabéns, vai ficar ó, 
UMA BOSTA!)



na página do wikipedia que fala sobre o cais, há um parágrafo sobre o consórcio novo recife que descreve bem o espírito elitista e sectário da obra, mas também dá pistas dos interesses políticos por trás dela:
O perfil dos compradores seriam médicos do polo dos Coelhos, técnicos do Porto Digital e funcionários públicos que trabalham no Recife Antigo.

O QUE PODEMOS FAZER?

se você está no recife, #OCUPEESTELITA. a cidade é sua, querem tomá-la de você. se não está na cudade, ou não pode ir, ao menos spread the word sobre esta violação acontecida nesta madrugada.

acompanhe as discussões e mobilizações em torno do assunto no grupo direitos urbanos.

lembre à prefeitura do recife, em sua página do FB, que recife não devia estar à venda. exija o alvará! #cadêalvará?

e por fim, você sempre pode fazer da vida online da moura dubeux um inferno. vá ao perfil da empresa no FB e exija resposta! #cadêalvará?





Monday, May 19, 2014

geografia 3 - com joel datz

essa info é quase em tempo real: hoje tive encontro com minha orientadora, a maravilhosa ute mahler, e decidimos juntas tirar do meu projeto o capítulo que fala de joel datz.

joel, que eu conheci quando tinha 4 anos (a mae dele era bem amiga da minha vó, vivíamos na praca chora menino, em recife), é parte profunda da minha memória afetiva. pra quem nao sabe, joel é o mais jovem dos irmaos evento (que sao dois dos mais importantes personagens da paisagem cultural de recife. google!).

lembrar de joel me permite pensar em recife com docura.

ele saiu da série, mas segue firme e inabalável no meu imaginário e no imaginário coletivo de recife.

para quem conhece a praca chora menino, é dele aquele casarao "abandonado". joel nao pode manter a casa e tem milhares de ururbus de imobiliária doidos pra comprá-la. nesse dia, enquanto eu estava com joel, fotografando-o, parou um carrao na frente da casa e um engravatado comecou a perguntar sobre a casa, o terreno, o quanto custava, se joel tem interesse de vender... uma coercao assustadora. joel nao a  quer vender.













Friday, May 16, 2014

jogo de cintura


precisava de uma impressora
não tinha dinheiro
comprou uma máquina de datilografar por
15 euros
voilà










look do dia









sobre a não-relação dos saques ontem em recife e o bolsa-família

olar. ontem, muitas pessoas no meu FB estavam culpando o bolsa-família pelos saques em recife (e pelo aquecimento global, a morte das abelhas, a unha encravada etc.). essas pessoas gostam de bradar que devemos nos inspirar nos países desenvolvidos e investir em educação.

para você, doente mental, gostaria de dizer que nos países desenvolvidos também há ajuda social. você, que acha que tudo se resolve enfiando um menino (com fome, e com os pais com fome) na escola, saiba que por ex., aqui na alemanha há um programa de ajuda social que consiste em dar dinheiro, aluguel e plano de saúde - em alguns casos a pessoa pode receber o benefício em sistema vitalício - baseado no conceito do direito a níveis mínimos de existência. o programa tem muitos críticos, claro, afinal todo mundo acha legal ser filantrópico, ir em bailinho beneficente e assinar petição online, mas na hora de dividir o dinheiro, uiuiui a coisa pega. parece o brasil? pois é.

o bolsa-família, que vocês chama de esmola, é um programa de diminuição da desigualdade social e distribuição de renda e que, guess what, é muito mais bem planejado do que o sistema de vários países (desenvolvidos, inclusive). bolsa-família não é esmola, esmola são os 10 centavos que você dá ao menino no semáforo que "vende" bala, sem nem olhar para a cara dele.




esse post não é sobre política partidária, não é sobre PT nem dilma, é sobre pessoas e suas necessidades, seus direitos. é sobre pensar no outro. não venham encher meu saco falando mal de dilma.


Thursday, May 15, 2014

geografia 3 - lepsius e outros viajantes

semana passada fui ao neues museum olhar a coleção deles de papiro. queria ver como as pessoas contavam histórias tão imagéticas (as histórias dos deuses, do mundo, dos mortos) sem ter nenhum aparato de captura de imagem e, mais improtante que isso, tendo uma cultura de imagem completamente distinta.

deixa estar que ao chegar lá, mais do que a coleção de papiro, o que me pegou foram os diários (que depois virariam livros) dos viajantes europeus e seus relatórios sobre as expedições arqueológicas no egito antigo, síria etc., a partir do século 18. 

a forma como esses exploradores organizavam suas descobertas - tanto impressão pessoal como a parte acadêmica - era fenomenal, um misto de catalogação e fantasia para falar de algo que eles estão vendo, mas não entendem porra nenhuma.
e foi isso que vivi em recife: estava vendo aquilo, e não estava entendendo nada. 

então estava decidida de que ia ser assim que ia contar minha história. de um jeito bem cínico, contar minhas impressões sobre aquela localidade (que foi recife, mas podia ser qualquer uma), como se eu estivesse descolada daquilo tudo, como se eu fosse uma expedicionária, descolada no tempo e espaço.

com isso na cabeça, terminei hoje o primeiro dummy do meu tcc. amanhã vou scanear e mostrar.




primeira página dos textos no diário de lepsius




capa, folha de rosto e imagens da página 441 de
richard pococke, beschreibung des morgenlandes
und einiger anderer laender, 1754




folha de rosto (já beeem mais moderna)
de giovanni battista belzoni,
em publicação de 1820



folha de rosto de vivant denon,
berlim 1803






o único problema é, quando tava no meio deste dummy (vamos chamá-lo de dummy01), tive outra ideia pra contar a história, completamente diferente. mas completamente. aí vou ter que começar de novo. não um novo tema, não não, apenas uma nova abordagem pro mesmo trabalho. 


Wednesday, May 14, 2014

geografia 3 (meu TCC)

a última vez que falei do meu TCC foi em outubro do ano passado, quando tinha entendido que não ia dar pra continuar com a história de mulheres vivendo com HIV.

agora eu tenho um tema, que nem é tema. o trabalho é sobre perda. sim, não tem objeto, tem uma palavra. como o processo criativo tá muito doido, às vezes me sinto anos luz no pensando à frente do que está sendo executado, às vezes o contrário, não sei muito como contar as coisas aqui.

sem contar que tem muita vivência acumulada. eu fotografei muito em recife. e tô bulindo numas gavetas velhas da minha família desde novembro. tem muita, muita coisa. não vou conseguir mais explicar cronologicamente o que aconteceu até agora. ou seja, vocês vão pegar o bonde andando (e já beeeeem no meio do trajeto). desculpa!

eu vou começar a partir de agora. vou tentar postar todo dia alguma coisa relacionada ao trabalho que fiz durante o dia (porque todo dia o trabalho é intenso). vai ser mei complicláudio proque não tenho câmera digital, mas vai rolar.

eu tava muito perdida e não fazia sentido publicar o processo de confusão. agora que eu me achei, faz tudo sentido, mas não tinha como saber disso no meio da doidice.






Monday, May 12, 2014

look do dia







ney matogrosso reaça ou "até tu, ney?"

ney matogrosso chama pessoas pobres e/ou que recebem o bolsa família de "essa gente" em entrevista (que não vou linkar, para não dar ibope pra tamanha merda) esses dias.

primeiro, ney fala algumas inverdades. uma delas é a de que os beneficiados pelo bolsa-família não têm a obrigação de matricular seus filhos na escola. o cantor apenas reproduz a crítica de muitos brasileiros que condenam o programa social sem conhecê-lo em profundidade.

segundo, como diria meu editor schneider carpeggiani, o bolsa-família não é dar esmola, é dar possibilidade.

terceiro, eu queria avisar ao ney, que é gay, artista e "maconheiro", que é assim, por "essa gente", que gays, artistas e "maconheiros" são chamados por grande parte dos brasileiros. faltou a ney se lembrar que ele mesmo é minoria.

quarto, sobre o bolsa família, copio apenas mais um dizer maravilhoso da jornalista e socióloga fabiana moraes:

Da série: "Isso é Brasil! Só no Brasil! País nojento": um milhão e sessenta e nove mil famílias devolveram o cartão do Bolsa Família desde a criação do programa até ano passado (outubro, 2003 a novembro, 2013). Declararam que a renda já ultrapassava o limite de R$ 140 por pessoa. O número representa 12% de um total de 13,8 milhões de famílias atendidas. Já a fiscalização do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome excluiu 483 mil beneficiários flagrados com renda superior a permitida pelo programa. Agora muita gente pode respirar aliviada: esse pessoal nordestino da mamata não vai atrapalhar a bolsa de estudos do governo federal que garante a especialização de seu filho na Europa. Nem a pensão da filha adulta do juiz!


pra não deprimir demais, ficamos com o ney que amamos, defendendo na tv aberta a regulamentação do uso e comercialização da maconha:


Saturday, May 10, 2014

Friday, May 09, 2014

abujamra, tabacudo

lá pelos 6:25 do programa provocações, da tv reaça tv cultura, abujamra solta: "... mas não há assim uma violência" (eles estavam falando de homofobia e direito LGBT no brasil).

quer dizer, pro macho branco crasse média, jogar um homem gay do viaduto não é "assim uma violência". eu arriscaria até dizer que pra esse macho, não poder demonstrar afeto em público não é "assim uma violência". e pra piorar, na sequencia da conversa, abujamra tenta diminuir os crimes com motivação homofóbica, alegando que em são paulo se mata todo mundo, não somente gays.

a frase de abujamra me enfurece, mas logo depois me deprime, porque não é descolada da lógica heteronormativa brasileira. é só mais um diagnóstico. apenas a confirma.



só jean wyllys salva





Monday, May 05, 2014

"autotomy (...)", primeira edição

finalmente recebi minhas cópias de autotomy (...), que foi lançado pela pingado-prés em fevereiro. fiquei tão, mas tão feliz, ficou tão lindo!





empacotadinho com adesivinho pra proteger a primeira capa,


que é em papel japonês bem lindo.


a segunda capa é rosa e partida...


... uma referência ao texto MARAVILHOSO
que fabiana moraes escreveu sobre o trabalho
(obrigada, fabi)


fom


os livros são numerados à mão (na contracapa)


thank you, india


e quando abre a primeira capa, fica assim,
lindo.



a gente tá preparando a segunda edição, que vai vender em recife e tamo vendo um jeito de vender online. se você quiser reservar um exemplar, escreve pras mina da pingado: oi@pingadopres.com


ai de mim

que só soube hoje:
não há mais hífen
não quero saber
não tenho autoestima
nem faço autorretratos
não sou benvinda
faço questão do hífen
em nome da minha
auto-estima
ainda que já não faça
com traço ou sem traço
auto-retratos

quanto ao benvinda
vai virar bemvinda
que ben não é palavra
a não ser nos cantor

bemvinda palavra errada
terrorismo ortográfico
em nome do amor.








Saturday, May 03, 2014

Friday, May 02, 2014

"polaróides" na revista bamboo

eu acho a revista bamboo a coisa mais linda! e na edição de maio polaróides aparece por lá, como indicação de leitura do mês, por cris naumovs. que foda!



óbrégada