Monday, December 28, 2009

surpresa de livraria

hoje foi um dia sabido. fui com mamis ver abraços partidos. antes a gente passou ali na livraria cultura, que eu queria comprar o livro do meu amigo ricardo domeneck. não comprei porque tava mais caro do que eu pensei e se comprasse ia ficar sem dinheiro pro ingresso do cinema hahahaha.

descobri duas coisas:

1. gente pobre, de dostoiésvski, foi lançado com tradução direta do russo pela 34. pra quem lê esse blhog há pouco tempo, meu nome foi tirado de irmãos karamazov e portanto minha relhação co dosto é bem intensa - e muito mais emocional do que literária!

2. descobri esse poema de vinicius de moraes (sempre ele...), que eu nunca tinha ouvido falar. chama "as mulheres ocas" e creo yo que tem tudo a ver com meu momento buffivi, a caça it-girls. é grande mas dá pra ler até o fim, que é engraçado!!

Nós somos as inorgânicas
Frias estátuas de talco
Com hálito de champagne
E pernas de salto alto
Nossa pele fluorescente
É doce e refrigerada
E em nossa conversa ausente
Tudo não quer dizer nada.

Nós somos as longilíneas
Lentas madonas de boate
Iluminamos as pistas
Com nossos rostos de opala.

Vamos em câmara lenta
Sem sorrir demasiado
E olhamos como sem ver
Com nossos olhos cromados.

Nós somos as sonolentas
Monjas do tédio inconsútil
Em nosso escuro convento
A ordem manda ser fútil
Fomos alunas bilíngües
De "Sacre-Coeur" e "Sion"
Mas adorar, só adoramos
A imagem do deus Mamon.

Nós somos as grã-funestas
Filhas do Ouro com a Miséria
O gênio nos enfastia
E a estupidez nos diverte.

Amamos a vida fria
E tudo o que nos espelha
Na asséptica companhia
Dos nossos machos-de-abelha.

Nós somos as bailarinas
Pressagas do cataclismo
Dançando a dança da moda
Na corda bamba do abismo.

Mas nada nos incomoda
De vez que há sempre quem paga
O luxo de entrar na roda
Em Arpels ou Balenciaga.

Nós somos as grã-funestas
As onézimas letais*
Dormimos a nossa sesta
Em ataúdes de cristal
E só tiramos do rosto
Nossa máscara de cal
Para o drinque do sol posto
Com o cronista social.


§

eu vou dizer só uma coisa: a vida é a arte do encontro.

minhas costelas que o digam.

4 comments:

Varanda Verde said...

ivo, duas perguntas:

casa comigo?

quando tem mais saldão ivetal?

não sou alemôo, não sou taurino e me chamo rafael.

RE said...

também queria umas fotos lhindas do saldão ivetal!

Cilana said...

Rafael é um nome bom, só digo isso. Se não for geminiano, eu vou estar aprovando para você, Ivilina.

Dani said...

Rafaéis são os melhores. Digo porque o meu é também e eles são sempre lindos e inteligentes e tudo-de-bom! (O meu é aquariano e bipolar, difícil que só ele, mas é uma delícia e tem um sorriso de matar!)