Saturday, March 20, 2010

um trailer, um filme, duas fotos, uma decisão, um email

introdução

eu sou ansiosa. eu costumo resolver tudo sozinha, cuidar da minha vida, não espero nada de ninguém nem de nada.

as contas chegam e eu pago 20 dias antes do vencimento.

e quando eu tenho que esperar? e quando não depende de mim?

eu fico arquitetando meu futuro e fico fazendo de mim mesma um mamulengo.

§
um trailer

ontem eu fiquei muito triste quando vi o trailer de comer, rezar, amar. quando julia fala: "eu costumava ter paixão", ou qualquer coisa do tipo...

hoje eu acordo e só peço pra jah forças pra chegar até o fim do dia. e entregar os trabalhos dentro do prazo. e não sentar no meio fio no meio do dia com a cabeça entre os joelhos e desistir.



§
um filme

depois de ver o trailer fui pro banheiro chorar com uma peninha de mim de dar raiva.

eu quero me tornar exatamente aquilo que nunca admirei? não é possível que todas as véia que eu conheço sejam iguais e eu seja uma delas.

onde foi parar minha insolência?

chorei sentada na privada por alguns minutos, fiz xixi a pulso e fui pra sala. liguei a tv. estava passando de repente é amor.

amanda peet: "se você não está disposto a parecer ridículo, não merece se apaixonar".

quando o filme terminou eu estava naquele estado ridículo, de falso êxtase, aquele em que você tem certeza que a partir daquele minuto tudo vai ser diferente porque você vai mudar.

comecei fumando um cigarro sentada em cima do móvel da sala, só porque nunca tinha sentado nele e achei que era uma boa hora de mudar um paradigma. qualquer um.

chorei mais uns minutos e fui dormir.

§
foto 1

no facebook de um amigo, vi a foto de uma mulher que conheci uns anos atrás quando ela era estava around 30 anos. na foto que vi ontem, ela estava com os dentes amarelos, cara de neurótica e acompanhada dos dois cachorros.

wake up call, i can hear you.

§
foto 2

não sei nem o que dizer.

§
a decisão

eu estou disposta a parecer ridícula.

estou disposta a voltar a ter paixão.

estou disposta a fazer uma dívida.

§
um email

escrevi para minhas amigas adriana, de louisiana, e nina, de amsterdam.

e disse minha própria frase do milênio:

"percebi que não há hora certa pra começar a ser feliz".

ninguém vai me avisar que já posso começar, vai? então decido eu.

§
conclusão parcial

a pergunta que fica é: quantos amigos de verdade você tem? e os que ficaram, quanto foi porque você os amou e quanto foi porque eles não desistiram de você? os meus, com certeza, foi pela segunda opção.

e eu quero consertar isso, ou quero pegar o próximo trem para todo lugar?

eu amo meus amigos, mas a perspectiva de um trilho que some no horizonte sempre me é mais confortante.

um lugar que não tenha ninguém que, ao cuidar de mim, me lembre a falta de sorte que eu tive.

um lugar em que nada do hoje lembre como foi ontem.

24 comments:

Miss X said...

Às vzs eu acho q entendo exatamente oq vc diz, outras vzs não ou nem tanto, mas em qse todas eu acho bonito.
(whatever that means)

:)

Alex Oliveira. said...

em quase todas eu acho bonito.

Taís Bravo said...

Nossa. Essa segunda foto foi meio tapa na cara pra mim.
19 and bored. Putz.

Escolha a paixão acho que é o caminho que nos leva a menos arrependimentos, embora, nunca seja possível saber se nos leva a felicidade. é foda.

ô, Ivi, acho que esse poema te entende:
Leite, leitura
letras, literatura
tudo o que passa,
tudo o que dura
tudo o que duramente passa
tudo o que passageiramente dura
tudo, tudo, tudo
não passa de caricatura
de você, minha amargura
de ver que viver não tem cura
(Leminski)

Beijão

Camila said...

força nas suas decisões.
boa sorte. :*

Lia said...

Entendo perfeitamente todos esses sentimentos. Com esse texto me senti menos sozinha.

Pense num blog bom!

Nove said...

velhoooo, queremos a parte dois já!
fierce!

bainhadefitacrepe said...

pode ser clichê, mas como diria o geraldo vandré, "quem sabe faz a hora, não espera acontecer" =)

Bela Figueiredo said...

caguei pelada, fia.

Ana Paula said...

Eu leio seu blog tanto tempo e nunca comentei, não por que não tivesse vontade mas por que sempre deixava pra lá. E agora, simplesmente, resolvi mudar!
Esse post me soou tão pessoal... quase como se eu pudesse tê-lo escrito! Até o filme eu assisti, e chorei, e também decidi que a partir dali ia mudar... como tantas vezes pensei antes!

Acho que isso é mais um desabafo que um comentário... ehehe ;)

No mais, siga seu coração!

Bjus

Camila said...

credo,
destino deve existir mesmo
eu sempre venho aqui..
mas nunca nada me caiu tanto como uma luva quanto hoje


vivemos e sejamos felizes

Felipe said...

PUTA QUE PARIU!

Ei sempre quiz dizer isso... vc transcreveu meu sentimento...

Natalia Venturini Pessutti said...

Nossa Ivi, torço tanto por vc!!! Acho q vc já sabe disso, apesar de não me conhecer. Quero q vc seja feliz como alguns meses atrás...ou simplesmente ser feliz. É engraçado desejar isso pra alguém q mal se conhece, mas te desejo do fundo do meu coração. Hoje ouvi uma coisa q me bateu e de repente tenha q te falar também: Nunca sinta medo, sinta qualquer outra coisa, menos medo. Beijos. Te adoro.

Natalia Venturini Pessutti said...

Quero dizer outra coisa, vc é um espírito livre que precisa voar... as vezes precisamos sair da nossa zona de conforto pra sermos felizes... e tenho certeza que vc merece, e muito! Beijos.

Menina Dedê said...

Oi. Que lindo. Me fez querer ser sua amiga :)

Jowzinha said...

Esse post ficou simplesmente fantástico...
As reflexões q temos do nada por simples acontecimentos da nossa vida são tão boas!!!
Ontem eu pensei nessa questão aí da amizade de pq meus amigos ficaram ou pq tantos se foram e cheguei a conclusão q às vzs um amigo de anos n é bem o q pensamos e um conhecido pode nos trazer a melhor sensação q esperávamos há anos...
Qto a um email, axo q estou esperando um seu... Responda qdo puder!!!
Qto a decisão, no momento q vc voltar a ter paixão vc vai fazer dívidas e se dispor a parecer ridícula...
Pode escrever o q digo...
Alguém certo dia me disse q qdo nos apaixonamos perdemos o senso do ridículo e isso é maravilhoso, pois nos torna mais felizes!!!
Bem, são minhas dicas e reflexões.
Espero q goste!!!
Se tiver algo a dizer me escreve...

=**, Jowzinha

Mayra said...

putz, sei bem isso... tem horas que prefiro assistir um filme de romance pra fugir da minha realidade tao pacata...
vamos nos unir.. precisamos mudar isso!

Paula said...

Tem como não amor tu, mulé? Me diga?!

Um cheiro, saudade!!!

Polinha Köstlich said...

admirável ivi,
sbe que a única coisa que vc poderia querer com afinco e não conseguiria é ser ridícula.
vc e carol são as pessoas mais fortes e brilhantes que conheci, carol conheci mais, convivi de um tudo com ela até ter que cuidar da minha vida radicalmente já que era chamada...e vc veio de tabela. agora diz ai, vc acha que qtas pessoas na terra conseguem conhecer alguem tao especial que mostra de tabela outro alguem tai admirável?
a tua insolência virou poesia, pq vc é mesmo competente!
brilhar brilhar, melhor que brilhar é iluminar, e vc consegue os 2!

senhorita sartori said...

Ivi,
eu tb estou neste momento de ir em busca do q me faz feliz. Pedi demissão esta semana de um emprego de 4 anos sem ter nada em vista.
De qualquer forma me sinto mais feliz com isso. Todas estas questões me parece um retorno de saturno e tanto em sua vida. é punk mas libertador. te adoro!

João Paulo Bernal said...

eu também fico com a segunda opção.

gostei daqui.volto mais vezes.

João Paulo Bernal

Menina Dedê said...

Olha, achei um trechinho em outro blog. Deixei um comentário pedindo pra colocar a fonte, mas a dona do blogue tem que aprovar a publicação do comentário antes.

http://nomesamenos.blogspot.com/2010/03/quando-o-filme-terminou-eu-estava.html

Vanessa Negrão said...

às veiz eu queria ser sua bff e dividir um bife contigo.

isso tudo que vc escreve é muito lindo, faz muito sentido é praticamente meu livrinho de continhos de cabeceira. vou te eleger minha ídala.

=*

livoca said...

oi!
usei seu post...podia?
foi com carinho.
não fui a única a me identificar aqui né, só pelos comentarios somos uma massa de gente querendo mudar.

de qq forma, thanx.
vai ajudar.

Dani said...

No fim, todo mundo vive as mesmas coisas... Em momentos diferentes, em lugares diferentes, com pessoas diferentes, mas as mesmas coisas...