Sunday, May 30, 2010

do direito de não dizer nada

semana passada escrevi um post bem sabido no blog do paraty em foco, inspirada num email de pio figueiroa, nos vídeos de ricardo domeneck e nas fotos de timo klos. e as prerrogativas desse texto inspiraram, além de um monte de conversa gostosa/calorosa no estúdio madalena, vários comentários no blog do pef.

o que mais me pegou foi o do paulo, do garapa. eu fiquei dias pensando no comment dele, porque... eu discordo tanto! principalmente da última frase: "Agora, artista que não quer dizer nada... duvideodó". vale dizer que amo pessoas que discordam e dizem, como fez o paulo. não tenho nenhum problema quando não pensam igual a mim - então antes que vocês achem que esse post foi movido por recalque, devo deixar mais que claro que ele foi movido por pensamentos gerados pela opinião do paulo!

fiquei pensando nas gongadas que já tomei em leitura de portfolio, quando eu mostro meu trampo e o cara fala: "e o que você quer dizer com esse auto-retrato?" e eu respondo, sempre: "eu, nada. e você? o que quer dizer com essa pergunta enfadonha?" HAHAH mentira nunca respondi assim, paro no "nada", mas bem que devia concluir a insolência. os pessoal sempre fala que eu preciso ter discurso político...

mas eu não sou a dilma. o ponto é: pode até ser que eu queira dizer alguma coisa, mas isso não quer dizer que eu queira dizer o que quero dizer para quem vê a foto. ao menos, não assim, de cara.

eu vou usar dois homens que respeito muito na hora de embasar minha vontade de não dizer nada: armin e raimundo carrero (toma um wikipediazinho pra quem nunca ouviu falar no homem).

armin nasceu e morou até os 20 anos numa vila com 800 habitantes no sul da alemanha e é enfermeiro num hospital psiquiátrico de velhinhos. ele é xucro. não tem tempo pra essa blablalização da arte - e foi com ele, no entanto, que tive grandes conversas sobre o so-called fazer artístico. aulas mesmo.

dia desses ele falou assim, num email, tentando me consolar de mais uma gongada portfolio-zal: "não é o artista que tem que criar significação pra sua obra. é o espectador que tem dar significado ao que ele vê".

armin é como se fosse meu richard do texas, de "comer rezar amar". é um bom selvagem com sabedoria desconcertante (apesar de ser nazista hihi).

o outro, raimundo carrero, embasou minha crença artística no editorial da 51ª edição do suplemento pe. ele fala assim:

"para flaubert, a frase vale pela sonoridade ou não, pelo ritmo ou pelo andamento. estética, pura estética, sem ter que provar nada, sem discutir nada, sem revelar nada".

essa foto, por exemplo:



não é nada. mas a jéssica gostou. acho que é o bastante.

14 comments:

Diário said...

E é mesmo suficiente. Não acredito que SEMPRE o artista não queira passar nada,mas acho que existe sim o caso quando aquela imagem,texto ou sei lá o quê deva ser interpretada e lida de acordo com quem vê.
Adoro muito teus textos muié...Me ajuda a entender das arte sem muita volta sabe? =D

Lis said...

Eu acho que o que se quer dizer com uma foto, quadro ou seja lá o que for, já está implícito na própria obra, e o meio de "dizer" é o meio utilizado mesmo (seja foto, quadro, etc), ou seja: não faz sentido traduzir em um discurso. Além de estar implícito, o sentido depende do impacto no observador (ou seja, não faz sentido ter que explicar). Se assim fosse toda foto tinha que ter um texto anexo (boring...)

Jowzinha said...

Axo q n foi só a Jéssica q curtiu a foto.
Eu curti e apesar de vc dizer q n é nada, p mim é algo!!!
Inclusive copiei p mim, ok?
Mas axo q o lance do artista é isso.
Ele até deve pensar alguma coisa na hora da produção, mas o q ele quis dizer com isso, cada um vai ouvir uma coisa!!!
Pq o objetivo da arte n é ter sentido próprio, mas sim ser sentida p poder ter sentido.
Pelo menos é o q me diz o Kant.

=**, Jowzinha

Felipe said...

Uhm... acho que quem disse que o significado é feito na cabeça do espectador/leitor foi o Barthes, e não o seu Armin... A "morte do autor".

Mas por mais que eu concorde com o Barthes (e, consequentemente, contigo e com o Armin) nesse ponto, acho que alguém tem que ter feito a foto/texto/performace/video/quadro/outra mídia.

E todos os significantes têm discuros, é inescapável. Por mais simples que seja. E às vezes a simplicidade diz muita coisa.

Um auto-retrato pode estar cheio de intenções (como a Nan Goldin com o rosto arrebentado pelo namorado). E também a ausência dessas escoriações também tem significado.

O que quero dizer é que você pode até não verbalizar ou mentalizar um discurso. Mas ele existe. E esse discurso, esse significado vai ser diferente para cada espectador/leitor. Acho.

juotoni282 said...

Se todo mundo soubesse descrever/discriminar o que sente/faz...
aí sim todo artista estaria "dizendo algo" conscientemente.

Tassia said...

Eu sempre acho que o significado de qualquer manifestação de arte está na combinação da postura do artista com os olhos do espectador. É uma fórmula não exata entre a forma como a arte é exibida e o humor de quem está olhando. E quando digo humor é humor mesmo. Há dias pra mim em que a minha janela do quarto é só a janela do quarto. mas há dias emque a luaz que passa pela veneziana pra mim é arte da natureza.
Simples assim, complexo assim :)
Sua arte,aos meus olhos, é sempre arte, e sempre boa. Atribua isso ao que quiser!

Pri said...

Acho que autor sempre quer dizer algo ,pq ao meu ver se ele não quisesse dizer nada ia ser bobo mas, acho que é mais uma questão de signficado pra ele proprio do que passar isso pro outros. Não faço a minina ideia oq vc quis passar com suas fotos mas, também não me interessa .. Oq me interessa é oq eu sinto em relação a elas. E na suas fotos EU vejo muita paixão e revolta .. (sei lá pq eu vejo isso tb mas, é oq eu sinto) e é isso que me faz ficar passeando horas pelo seu flickr e esquecer desse mundinho .

vodca barata said...

tô adorando que ninguém fica com vergonha de discordar hahaha é isso aí, galere, quero mais pitaco.

e pri:
"Não faço a minina ideia oq vc quis passar com suas fotos mas, também não me interessa .. Oq me interessa é oq eu sinto em relação a elas."

essa é a vibe, é assim que eu me sinto em realçao à obra dos outros tb :*

Dayse said...

Sempre fico desnorteada quando alguém pergunta: mas o que vc quer dizer com essa foto? Acho que o espectador tem o direito de ler o que quiser na foto eu não preciso traduzí-la, no mais a arte não precisa fazer sentido, 'quem faz sentido é soldado'.

Juliana O. said...

E Clarice disse: "Ainda bem que o que eu vou escrever já está escrito em mim. Tenho é que me copiar com uma delicadeza de borboleta branca".

Juliana O. said...

E Clarice disse: "Ainda bem que o que eu vou escrever já está escrito em mim. Tenho é que me copiar com uma delicadeza de borboleta branca".

Sarah Falcão said...

arte não precisa de explicação, precisa de razão pra existir (e essa razão não precisa ser uma explicação, pode ser apenas um desejo). eu gosto das suas fotos. se fosse dona de galeria ou de revista de moda/arte/cultura/"qualquer coisa", te contratava. eu também gosto de coisas que não dizem nada, mas no final das contas elas dizem muito. sempre dizem...

Jo e Lu said...

Cara, leio seu blog há bastante tempo, sempre anônima. ok, nunca vi motivo pra comentar. Quer dizer, adoro o q vc escreve, fotografa, comenta, mas sabe, nem levo jeito pra esse papo de comadres dos comments.
Daí q esse seu post me fez ter vontade de escrever pq fico de saco cheio de gente que precisa de explicação pra tudo, até pra arte. Meu marido é artista plástico e eu trabalho com figurino (artista indireta??). Fui procurar uns cursos de arte pra fazer aqui no Rio e vi tanto bláblabla que cansei.
Quer explicação? Vai ler um manual!

Dani said...

Você e o armin são tão simples e tão certos nas idéias que acho que é por isso que vocês funcionam tão bem juntos. É assim e .

Jajajajajaja!!!

Beijos, lindeza!