Thursday, August 05, 2010

tipo credicard

voltar andando pra casa bêbada da balada com uma nikon gigante pendurada nas anca de salto alto e batom vermelho sem nenhum otário dizer nenhuma idiotice sobre seu look maravilhoso ou sobre sua xoxota e chegar em casa e sentar no meio fio e fumar um cigarro pacificamente olhando a lua decrescente e perceber que sua bike de segunda mão continua estacionada no mesmo lugar que você deixou dois dias atrás e assim como seu corpo e sua auto-estima que em nada foram violados e viver tudo isso sem sentir uma ponta de medo sequer:

não tem preço.




aí mamãe me pergunta se eu quero voltar pra casa e adivinha o que eu repsondo.

10 comments:

Natalia Venturini Pessutti said...

É exatamente isso que se sente aí. Queria poder criar meus filhos, que ainda nem sequer estão planejados por aí. Foi realmente uma pena voltar, e quando vejo as fotos choro feito criança. Beijos.

babi said...

eu tenho muita vontade de sair daqui onde estou hoje - mas guardo quase que só pra mim o tamanho dessa vontade, porque as pessoas olham como se fugir fosse feio, e eu talvez até ache feio, mas eu não aguento mais viver contra um instinto pelo conforto. ainda que não pelo sossego, pelas soluções, whatever.

Jowzinha said...

kkkkkkkkkkkkk
Essa realmente foi ótima!!!`
É uma das coisas q mais me chateia no Brasil!!!
O pior é qdo vc tá com seu namorado
e msm assim um cara mexe contigo!!!
Será q os homens perderam o senso da vida???

=**, Jowzinha

tary said...

não tem preço.

Carol said...

fantastisch!

ai, sei bem o que é. vontade de "puft" e aparecer lá!

Beijo grande, muchacha!

Nagisa said...

Berlin ROCKs, né!?...

ana claudia said...

KKKK! imaginei a cena !boa!

Nagisa said...

Mas olha, na honestidade... ainda vai dar saudades de ter homem olhando e mexendo com você na rua. Chega uma hora em que a invisibilidade também cansa.

jean mafra em minúsculas said...

caramba, doido pensar isso.

Pí Ême. said...

Será que eu sentirei isso na França?
Tenho medo.