Saturday, March 30, 2013

sem palavras

nesse artigo do washington post, christa parravani conta a história do estupro sofrido pela sua irmã gêmea, cara, que depois se suicidou.

christa e cara

o texto é tristíssimo, mas deixa uma mensagem importante: todas as pessoas que amam a vítima são vítimas também. o estuprador muda a vida de todo mundo, o que faz do seu crime algo muito maior e mais devastador do que todo mundo acha que é. christa chega a apontar que, se uma em cada 3 mulheres no mundo são vítimas de violência, e se cada uma dessas vítimas tiverem 2 mulheres que a amam, significa dizer que 3 em cada 3 mulheres deste mundo são vítimas de violência sexista.

ou seja: todas nós.

aí vou terminar esse post de sábado batendo na velha tecla: cuidemos umas das outras!

beijos,
ivi

2 comments:

Tassia said...

eu (graças a deus) nunca sofri abuso sexual, e (graças a deus) não conheço ninguém que tenha sofrido - não conheço diretamente, né? indiretamente são centenas - , mas é uma causa que mexe tanto comigo! acho que por me por no lugar de quem sofreu com isso...
leu sobre a turista que sofreu abuso numa van no rio, ivi? uma semana antes uma menina do rio mesmo tinha sofrido a mesma coisa, mas ninguém fez nada, só quando mexeram com uma turista que a polícia resolveu se mexer. pois a vaca da delegada que nada fez a favor da primeira menina foi exonerada do cargo - fiquei muito feliz de saber!.
nunca o mundo vai deixar de ter gente que só pensa no próprio umbigo, né?

Belisa said...

Que história triste, e mais profundamente verdade. Todas sofremos abusos sexuais, nem que seja o sofrimento compartilhado com uma amiga.
Todas sofremos o sofrimento dessa ameaça...