Thursday, April 09, 2009

cabei de voltar do jantar de pessach

hoje a gente meditou de montão e aprendi umas coisas a mais sobre a nachash (lê-se "narrash") - nachash é a contra-inteligência, aquele negócio que diz "faça" no pé do ouvido da gente, que fica atazanando os pensamentos, sabe?

já ouvi gente dizendo que a nachash também é conhecida como satanai hhahaha mas a verdade é que ele é a buceta do nosso ego.

eu, que sou burrinha e preciso de metáforas pra fazer as coisas, vejo o ego como aquele diabinho que fica aperriando perto do ouvido (ou "walkie talkie do satanai"), sabe?

até duas horas atrás um dos meus maiores desafios no quesito "colocar em prática o que aprendo na cabalinha" era reconhecer os caprichinhos do meu ego. coisas que eu não preciso fazer pra minha vida ser melhor, mas que eu faço porque meu ego existe. exemplo mais fácil? "vou entrar no orkut dele e ver quem deixou scrap". (não que eu faça isso porque não tenho mais orkut, mas já fiz horrores). isso é típico do ego enchendo o saco => porque o ego faz a gente acreditar que a gente precisa de coisas que na verdade não precisa. tipo fuçar o orkut alheio.

mas de duas horas pra cá meu maior desafio virou outro: reconhecer as diferenças de quando é o ego, ou de quando é a intuição que está falando.

pra pessoas evoluídas ou cabalistas experientes, isso até pode ser fácil - pra mim, que nada sei da vida, é foda. na verdade, sequer sei se esta questão é pertinente. mas pra mim é assim: se eu sequer consigo reconhecer os caprichos do meu ego, como vou conseguir diferenciá-lo de outra coisa? entende?

tem que ter um coração muito amoroso pra sacar isso, a raiz das minhas motivações, e hoje tive duas vivências beeem significativas:

1. minha amiga lu me chamou pra ir encontrá-la num local que não freqüento mais porque não faz parte do meu mundo, e que é freqüentado por pessoas pouco-agregativas-pra-minha-vida. aí teve um pedaço meu que disse: ai mulher não vai naquele lixo de lugar, vai melhorar em nada tua vida. aí eu (eu mesmo, EU, ivi), pensei, bem feliz: UHU isso deve ser meu ego idiota me impedindo de viver desafios! eu VOU e foda-se.

hahaha tadinha, tão ingênua. porque eis que fui no tal lugar, vi pessoas pouco evoluídas que querem me ver pelas costas; não agregou nada de positivo (nem de negativo) e vi que, não é por medo que não quero ver essas pessoas. é porque não quero mesmo.

o que eu achei que era EU eu mesmo ivi era na verdade meu ego, falando "vai ivi, vai lá, você pode", me prometendo um mundo de superação que não existiria por conta desta experiência pointless. o que eu achei que era intuição era meu ego, era eu querendo provar pra mim mesma que eu era capaz. e foi uma experiência vazia.

2. aí cheguei em casa meio mexida mas não muito, entoei uns dois mantras, liguei pro meu pai (foooi!) e depois pensei: ai que saudade de ______. vou dar uma ligada só pra dizer que tô com saudade.

aí pensei, bem pretensiosa: isso é a porra do meu ego querendo me fazer acreditar que eu preciso falar com ele. aí depois não pensei, só senti, que eu queria passar aquela vibração de amor pra tal da pessoa.

aí liguei, e não foi nem ótimo nem péssimo, foi fofo, porque a minha intenção foi igual ao meu ato (passar fofuras e nada mais) e por conseguinte eu fiquei preenchida.

ou seja: o que eu achei que era ego era intuição.

e aí sabe o que eu entendi? que atitudes tomadas a partir dos desejos do ego não tem consequências boas e tem uma bad trip foda depois (que nem ressaca, sabe?). enquanto as tomadas baseadas na intuiçaõ trazem somente o que lhe é necessário. nem euforia, nem tristeza, só a coisa certa. talvez a minha professora diga que mais do que intuição é preciso agir com certeza das coisas, mas eu ainda sou muito insegura. vou contando com meu coração antes de ter certeza na alma.

e entendi também que reconhecer as motivações antes de agir é difícil. e pronto. desculpa o post gigante. precisava escrever pra entender. xau!

15 comments:

Paula said...

Ivi, tu diz que não sabe de nada, será? Por que eu sempre aprendo algo com você ou passo a enxergar com mais clarezas certas coisas.
Eu tive essa vontade de ligar pro meu ex ainda pouco, justamente pra dizer que estou com saudades. Mas não tem jeito, ele não me atende mais.
Detalhe: eu não fiz nada de errado, ele simplesmente surtou e pronto.
Eu queria ser menos impulsiva, porque isso é muito dolorido.

Beijos.

vodca barata said...
This comment has been removed by the author.
vodca barata said...

o impulso é o primeiro sinal do ego! a gente sempre se arrepende, depois.

sempre que quiser fazer algo e se pegar na dúvida, é sinal de que aquele ato tem motivação esquisita. faz o exercício consciente de pensar bem muito antes de agir, velha história, mas funciona tanto. nunca tinha posto em prática até bem recentemente e muda uma vida.

:**

Carol Delgado said...

"mas eu ainda sou muito insegura. vou contando com meu coração antes de ter certeza na alma."

perfeito esta sou eu....

Eskarafoulbetika said...

enraçado, só notei isso agora que li. identifiquei mais uma coisa: mentiras que eu invento para eu mesma.

tsc tsc tsc

FiL said...

delícia que o vodca tá de volta =****

casa de especiarias said...

ivi, acho tão legal quando tu escreve sobre a cabala - mesmo eu não seguindo-a, porque dá pra gente conhecer umas coisas bem diferente do que estamos (estou) acostumada. novos pensamentos, teorias...

isso é ótimo pra ampliar o nosso entendimento da vida, das pessoas.

bju
:*

Alessandra - Lain said...

gostei demais de ter lido isso.

casa de especiarias said...

ô ivi, tu poderia me mandar o te email porque eu queria te escrever algo?

vodca barata said...

hahaha nossa eu também super minto pra mim, praticamente compulsivamente.

carol delgado, anota:
vodcabarata@gmail.com

beijo!

casa de especiarias said...

tipo, eu posso anotar tbm? hahahaha

Amanda said...

Ivi, eu não sou uma pessoa suuuper entendida, mas tem uma coisa que me ajuda muito nessas situações. Seria legal compartilhar! Descobri que nossas emoções são nosso melhor guia. Sabemos quando agimos com o ego ou não porque nossas emoções nos mostram. Na verdade, no fundo, sempre sabemos o que realmente é correto, o que realmente nos faz sentir bem. É só parar por alguns instantes e SENTIR. A o sentimento que vc tem ao pensar alguma coisa é bom? Faça! O sentimento é ruim? Pense bem antes de agir! Preste bem atenção nas sensações do seu "eu interior". Elas são as mais sábias guias. Beijinhos!!!!

Zeug said...

amo as coisas que voce escreve e amo sua fotografia.

beijos

Menezes, o cretino said...

Tem gente que diz que esse nachash é o satanás porque, em hebraico, satan significa nada mais, nada menos que "obstáculo".

Isso explica muita coisa sobre como a gente pode encarar essas personificações do mal, né?

Mel said...

Foi excelente ler esse texto tomando um café e sentindo os primeiros sinais de frio em Floripa.
Glad you're back!