Sunday, December 13, 2009

2ª it-girl

preciso mostrar pra vocês trechos de "a sociedade do espetáculo", de guy debord:

4. o espetáculo não é um conjunto de imagens, mas uma relação social entre pessoas, mediada por imagens.

11. a sociedade se expressa pelo espetáculo.

12. o espetáculo (...) não diz nada além de "o que aparece é bom, o que é bom aparece". ele exige a aceitação passiva.

14. o espetáculo não deseja chegar a nada que não seja ele mesmo.

-> o espetáculo é o contrário do diálogo.

25. o sagrado justificou o ordenamento cósmico e ontológico que correspondia aos interesses dos senhores, explicou e embelezou o que a sociedade não podia fazer. já o espetáculo moderno expressa o que a sociedade pode fazer, mas nesse caso o permitido opõe-se ao possível.

25. todo senso crítico dissolveu-se.

28. do automóvel à televisão, todos os bens selecionados pelo sistema espetacular são também as armas para reforçar as condições de isolamento, as "multidões solitárias".

30. quanto mais o espectador aceita reconhecer-se nas imagens dominantes da necessidade, menos compreende sua própria existência e seu próprio desejo.



it-girl na oscar freire

3 comments:

Hannah Sá said...

curioso, as vezes queremos tanto parecer com as It coisas que menos somos agente... e quanto menos nos identificamos com as "it" mais nos deprimimos... bizarro o ser humano

Deborah said...

O Guy Debord foi perfeito pra explicar as "it girls". E vamo que vamo rsrsrs!

Adorei

vodca barata said...

total, deborah, total!