Saturday, February 13, 2010

_____________________

1.
minha gente, minha inspiração foi embora. sumiu. foi pra putaqueopariu. eu sou um saco vazio!

2.
mamãe fez risotto de abobrinha pra mim e minha amiga rachel. comi e repeti, e depois peguei a panela escondido e fiquei catando só os bacons do risotto.

3.
liguei pra minha vó e ficamos fofocando no telefone durante uma hora, como duas pré-adolescentes insuportáveis.

4.
eu não consigo responder os emails dos amigos com menos de 48 horas de atraso. eu fico olhando, olhando, deixo pra lá pensando "jajá respondo" e nunca mais.

5.
eu quero falar, eu quero falar, eu só não sei sobre o quê! meu deus, que nó na garganta!

6.
minha vó falou, no telefone: "sim, todo mundo sabe que sua vida foi difícil, mas hoje não é ontem e amanhã não é hoje". GÊNIA.

7.
eu quero ter iniciativa de finalmente comprar flores pra colocar dentro do caneco de plástico do borussia m'gladbach que armin me deu.

8.
enviar as fotos das it-girls pra carol.

9.
fazer nebulização de seis em seis horas.

10.
e chega de mentir. eu sei porque eu fui parar no hospital na segunda. eu vi esse foto-documentário e fiquei tão, mas tão destrambelhada...

6 comments:

siii! said...

muita luz, queridona!
segura as pontas que tudo passa nessa vida.

muita muita muita luz pra ti!
bejo

siii! said...

ãiin...agoniante, né?!
bom, eu posso te desejar toda a luz do mundo pra ajudar a aquietar esse coração ai.

muita muita muita luz!
bejo

Borboleta Negra said...

Vi o documentário também, já ficava meio tonta, toda em carne viva quando ouvia falar desse massacre e agora, bom ... agora dói mais, dói muito mais por ser mulher e sentir tudo de uma forma mais profunda que muita gente.

Bom gosto pra caramba do seu blog, valeu, bjs.

Bianca said...

Ivi, me empresta sua vó? Só um tiquim?

candy said...

teus posts são sempre lindos assim, até quando falta inspiração?


:*

Bolt said...

Independente de sua intenção (de sua "não - inspiração" como pode?)suas palavras sempre vão lá no fundão da alma... faz a gente pensar profundamente. obrigada, sempre! dani acioli