Tuesday, October 12, 2010

estrangeira em toda parte desde pequena

estou aqui montando o portfolio que vou mostrar no workshop de alec soth. o nome do trabalho, que ainda é um work in progress, é "užsienio visur" (estrangeira em toda parte, em lituano) e eu procuro as primeiras fotos que fiz na vida, com uma kodak instamatic, porque elas eram todas de viagens - mas nunca do destino, eu sempre fotografava a estrada, ou o aeroporto, ou o céu...

eu tirei essas fotos entre 10 e 12 anos e achei que seria super apropriado usar essas fotos no slideshow do trabalho.

mas aí, no meio da caça a essas imagens, comecei a ver as fotos que fizeram de mim, quando eu era pequena. e tive uma revelação*.

(pausa explicativa: eu sempre achei que era adotada porque quase não tem fotos minhas de quando era criança - por exemplo, não existe UMA FOTO SEQUER do meu aniversário de um ano. nem da minha mãe grávida...

pedi então a minha mãe, que veio passar o dia das crianças (!!) comigo, que ela fizesse um clipping na casa dos parentes em busca de fotos em que eu apareço, para que ela me trouxesse neste feriado. ela achou fotos dos meus aniversários de 2, 3 e 4 e 7 anos.

além disso, acabamos encontrando nos confins do meu armário, uma foto em que ela está supostamente grávida de mim hahah):


eu sou a de amarelo no canto direito, era meu aniversário de 2 anos. repare como estou interagindo. nem as velas eu soprei.


no canto esquerdo, com cara de cu.


no meu aniversário de 3 anos. e o bolo era com vela que a gente usa quando falta luz. eu sou a de azul com cara de neuvosa.


no aniversário das minhas primas poly e lela. eu sou a criança que tem o tamanho do cachorro e cara de desesperada.


passei meu aniversário de 7 anos com meu pai, que eu mal conhecia e foi super estranho. não larguei o macaco o tempo todo. devia ter pedido para ele me levar no cabelereiro tirar esse mullet.




continuo sem saber se fui adotada ou não. essa foto é de março de 1982 e era para mamãe (sentada) estar com um buxo de 4 meses, que não aparece.

* tive uma revelação porque ver essas fotos me fez lembrar exatamente da sensação de desconforto que senti minha infância inteira, sei lá eu por quê. num tem uma foto que eu esteja sorrindo, como todo mundo, e foi assim até eu sair de recife, com 10 anos. na verdade, é assim até hoje, e estou começando a achar que essas fotos se encaixam muito mais no projeto que as fotos que eu queria usar.

pirralha bizarra.
ps: "uma foto só espera sua vez de ser deturpada ou explicada por uma legenda", susan sontag, em "diante da dor dos outros".

5 comments:

Loki The Trickster said...

detalhe para tua vó com cara de Catherine Deneuve na terceira foto.

A garota said...

Ivi, ri tanto com a descrição dessas fotos. Na verdade, com a sua descrição das suas caras. ahahaha

E olha, a barriga de sua mãe ta bem de 4 meses SIM, viu? Eu achei.

Bjocas.

Julianacronica said...

tenho uma prima que passou por isso. pensava que era adotada. tudo piorou no dia em que ela ligou para a maternidade em que supostamente teria nascido. se negaram a dar informações pra ela. ficou trash a coisa...

manu said...

!!

que coisa louca e interessante essa volta as memorias

Dani said...

Ivi, eu tinha um macaco igual ao seu!

Uma coisa que eu odiava em aniversários era aquele balão de surpresas. Eu tinha que subir na cadeira prá estourar e aí, depois que as balas caíam, eu nunca conseguia descer, porque nunca tinha onde pisar. Era uma m$#¨#%! Eu sempre ficava sem balas. Eu sempre chorava nos aniversários. Minhas fotos são iguais às suas. Sempre de cara fechada e essa sensação de estranha no ninho também sempre tive. Eu sempre sussurava "meu lugar não é aqui, tenho que ir embora. Essa família não é minha." Bizarro.