Wednesday, December 29, 2010

como apimentar uma relacao

mamae está aqui me visitando. já faz 13 dias que ela chegou.

eu sou leonina, agnóstica (acredito na cabalinha, ou seja, sou uma filósofa haha), gosto de ficar sozinha 89% do meu dia, faco voto de silêncio matinal, nao como pao branco, nao tomo coca-cola, nao como carboidrato depois das 15h. gosto de comer em mesa bonita, gosto das coisas charmosamente baguncadas. e tenho tendências a ataques de diva.

mamae é ariana, intelectual do tipo que bagunca tudo, ex-militante estudantil, amante de pao francês, café e carboidratos às 23h (ela só nao come carne, o que eu ainda faco e com GOSTO). mamae é uma metralhadora verbal matinal. adora companhia. é extremamente inteligente, apesar de um pouco melosa. e, pra coroar nossas diferencas, ela virou católica - argh! ela se converteu há uns dois anos e, segundo ela própria, foi depois de muita análise, de muita pesquisa. virar religiosa foi pra minha mae - uma cientista, pesquisadora, feminista - uma decisao acadêmica, racional.

eu tenho HORROR a religiao - todas. nao respeito nenhuma, talvez só aquelas que têm na índia, tipo liz guilbert (oi?). acho que em nome de religiao se matou muita gente, foram violadas muitas mulheres, foram violados muitos direitos.

de uns tempos pra cá, a neo-religiosidade da minha mae estava me pondo um pouco nervosa.

e, além desse detalhe, within the bigger picture, eu e ela somos duas adultas e o convívio pode, às vezes, entrar em curto.

pra manter nosso fogo da paixao aceso, tenho tentado manter uma programacao laica (hahahaha) e intensa: muitos dvds alugados, muitos passeios, muito sightseeing, muitas idas à livraria.

e outra coisa que descobri é cozinhar uma pra outra. mamae é uma mestra-cuca, arrasa em qualquer coisa (menos o trivial, tipo feijao, que ela nunca acerta fazer). já eu só sei fazer gelo. mas estou me esforcando, em nome de manter nossa relacao apimentada.

ó:


bucetinhas, ops, bruschettinhas pra minha mae! eu mesma fiz, nem creio (essa foto sao elas antes de irem pro forno).

8 comments:

Tassia said...

Ah eu moro com a minha mãe, e como não tenho mais pai a minha relação com a minha mãe acabou virando um "quase casamento". Ela cozinha, cuida da casa, eu trabalho, pago as contas. Parece que não mas é mesmo como um casamento. Tenho de abrir mão de muita coisa pra não brigar, relevar, agradar.
A relação com nossos pais (ou nossas mães) às vezes diz muito de como vamos ser quando casadas, né? Eu acho :)

S.Ribeiro said...

Adorei. De novo.

Erianne F. said...

Minha mãe tb não respeita minha vontade de ficar só e meu silêncio diurno!
Mas a gente se ama, fazer oq?

Mariana Rezende said...

te admiro por conseguir manter um blog em tempos de gtalk e twitter e facebook e etc
parabéns, tá lindo!

Juliana Villagio said...

Gostei do blog...
tô seguindo...

Bjus
Feliz ano novo!!

Sabrina Mix said...

Ai, Ivy! Só você mesmo, viu?!

Cozinhar gelo é tudo de bom. E light!

Adoooro bruschetas. Delícia das delícias e super facinho de fazer, né?!

Beijos e sucesso!!!

MEU BLOG: http://www.sabrinamix.com

Natalia Venturini Pessutti said...

que lindo Ivi!!! Relação com a mãe é assim mm. By the way, feliz ano novo, muita paz e amor pra vc!!! Beijosss.

Mariana Gazinhato said...

Eu sei como é isso, meu pai não respeita silêncio nenhum. Não para de falar nem quando eu estou usando fones de ouvido e fica magoado se a gente pede silêncio...