Saturday, June 11, 2011

definições de estupro, segundo a campanha stop blame

a caminho da slut walk, decidi traduzir e publicar o manifesto do movimento stop blame, mantido pelo governo do país de gales e uma das campanhas de conscientizacao que mais me interessam.

é dele o slogan "rape is a crime - drinking isn't", que eu publiquei no vodca uns meses atrás.

pois aqui vai:




Definições de estupro
1. O que é “permissão”
Se ela concorda, por escolha própria, e tem liberdade e capacidade de fazê-lo;
2. O que é “assédio sexual”
Comportamento sexual inesperado, direcionado a outra pessoa, que cause humilhação, dor, medo, vergonha, intimidação ou sofrimento psicológico.
3. O que é “estupro”
Penetração (de um pênis) na vagina, ânus ou boca, sem o consentimento da vítima ou quando a vítima não tem capacidade de consentir.
Não existe “condição”, nem “se”, nem “mas”.

Vivemos numa cultura misógina
(você ficaria surpreso, ou não)

Vivemos numa cultura de culpabilização da vítima. O estuprador e a sociedade usam a mesma
velha desculpa, repetidas vezes: “ela era promíscua”, “ela estava bêbada”, “a saia dela era muito curta”, “ela estava querendo”.

Bom, eis a novidade: não importa quão curta era a saia dela, ou se ela não se defendeu via embate físico. Nenhuma mulher, e nenhuma de suas ações, é responsável por ser estuprada ou sofrer abuso sexual. Uma mulher NUNCA pede para passar por isso – nenhuma. Um estupro é cometido pelo estuprador – e apenas por ele. O mesmo vale para assédio sexual.

Violência física contra mulheres, comportamentos que ameacem, intimidem, machuquem ou violem nunca devem ser tolerados, aceitos ou desculpados. Nós temos o dever de parar de culpar a vítima, e temos o dever de criar uma cultura na qual a mulher se sinta livre e segura para denunciar estupro e assédio, sem ser responsabilizada, ridicularizada ou humilhada por decidir buscar seus direitos.

Quem estupra?
A maioria dos estupros e assédios sexuais são cometidos por homens contra mulheres; geralmente o agressor já conhece a vítima: uma conhecida ou até mesmo alguém que ele conhece bem ou por quem a vítima tem confiança. Abuso sexual geralmente acontece em casa, mas não sempre, o que apenas reforca o conceito de “violação”.

Por que isso acontece?
Ao contrário da crença popular, um estupro não é motivado por desejo sexual, mas pelo desejo de dominar e controlar. Desejo sexual incrontrolável é outro mito usado para desculpar o estuprador, aliviando-o do desagradável fardo da culpa.

Não esquecamos que o agressor tem o luxo da escolha, da responsabilidade e do controle. A vítima não tem direito a nada disso.

A campanha
Esta campanha pede que todos mudemos a cultura endêmica de culpabilizar a vítima.
Vamos parar de culpar a vítima do estupro ou abuso sexual.
Vamos parar de conceder ao estuprador desculpas que sirvam para manter este comportamento como sendo aceitável.
Estupro é um crime em todos os sentidos – emocional, físico, psicológico e jurídico. É a maior violação que se pode imaginar.
Uma mulher NUNCA pede por isso.

3 comments:

Deiah said...

Nossa, Ivi, esse manifesto deveria ser amplamente divulgado no mundo todo! É muito foda mesmo que a vítima seja a culpada e o agressor tenha argumentos para se defender. Infelizmente, essa cultura ainda é majoritária. Espero que, no mínimo, a divulgação de manisfestos e campanhas assim façam as vítimas se sentirem mais fortes pra lutar...

donnanina said...

Hmmmm, muito bom ter conhecido teu blog, faço mestrado em antropologia, e meu estudo é sobre as MULHERES QUE AMAM DEMAIS - MADA...e infelizmente, tem um paralelo inteeenso com a violência... Enfim, gostei daqui, voltarei mais vezes!
Bjos

vodca barata said...

bem-vinda, dona nina ;)