Wednesday, September 23, 2009

121. por quê eu nao amei paris (demais)

paris é que nem hebe: nao tem como nao gostar. mas nao foi aquela paixao avassaladora, aquela tempestade torrencial de amor, como foi entre eu, lisboa e berlim.

enquanto eu perambulava por paris sexta e sábado, pensei várias vezes num trecho do samba da bêncao (vocês sabem como eu amo esse samba, uma vez que tenho ele tatuado nas cadeira):

Mas pra fazer um samba um samba com beleza
É preciso um bocado de tristeza
Senão não se faz um samba, não

Senão é como amar uma mulher só linda; e daí?
Uma mulher tem que ter qualquer coisa além da beleza
Qualquer coisa de triste, qualquer coisa que chora
Qualquer coisa que sente saudade


substitui muitas vezes, na minha cabeca, a palavra mulher pela palavra cidade.

uma cidade linda, e daí? uma cidade tem que ter qualquer coisa além da beleza. é por isso amo tanto sao paulo.

mas entendi o sentido de "qualquer coisa que sente saudade" quando fui pra montmartre sozinha, no domingo. e aí amei paris um pouco mais.

3 comments:

priscilla said...

ivy, excelente a comparação. não conheço paris, foi maaal. mas quando comparo com outras cidades é isso aí mesmo!

Bruno Dalto said...

vc tem samba da benção tatuada no corpo? eu tenho ela tatuada no meu cérebro. eu to amando vc demais.

Boutiquein said...

sou uma pessoa mais feliz agora que achei alguém além de mim que não viu nada de especial em Paris. Cidade óbvia, gente chata pra porra. Talvez naquela época que um gordo suado descia a ladeira com um pão gigante embaixo do braço e os artistas caíam bebados na sarjeta era mais legal. Agora Berlim, ahhhhhh Berlim, é a paixão da minha vida. Adorei o blog ;)